O jardim das borboletas de Asas Flamencas...


O rapto das borboletas



Escrito por Gaia, deixe sua rosa aqui. às 23:09:00
[   ] [ envie esta mensagem ]




Comunicação Profunda

Me desligo, me descubro,

 tagarelo com a alma o tempo todo; não quero esconder meu passeio pela minha minha floresta,

Fico de olhos perdidos no espaço, ou sonhando acordada , chame como quiser .

Eu quero estar perto da alma

Quero minha natureza doce e selvagem  , sem ter que explicar

Quero a terra firme da tradição mística das minhas intuições

Quero esta floresta portátil dentro de mim , onde mergulho fundo

Onde faço as perguntas

E escuto minha alma dando conselhos , e me dando respostas.

Onde danço e canto com a casa limpa

Nesse meu lugar Mulher onde as recordações e o conhecimento chega a mim sem nenhuma resistência

Onde livre cavalgo na direção que quiser .

Grê



Escrito por Gaia, deixe sua rosa aqui. às 23:08:51
[   ] [ envie esta mensagem ]




o caminho da alma ... conduz a água ...

Encho os pulmões, e expiro fechando os olhos e abro bem os braços, quase abraçando a ilha em minha frente.

Uma tranqüilidade chega com o vento, que me envolve num leve sorriso, solto, despretensioso e sutil.

Meus pulmões queriam entoar uma canção, sem nome, sem titulo, uma canção que tem na melodia  forças agridoces, impregnadas de um timbre místico que reúne um repertório de cura e união pessoal com aquele momento único.

Acionada com paixão frente à natureza do oceano, que cria finais nítidos e abre novos começos, eu levo meu olhar para as esculturas nas pedras feitas pela água e que encarnam a lembrança selvagem e consciente do lugar.

Eu nada procurava, era procurada pelas minhas emoções que dançavam livres com meus braços abertos e meus cabelos ao vento.

A pura verdade saindo em confiança em melodiosa sinfonia para o mar, onde eu atiçava com os meus braços abertos as intenções, os sentimentos.

Totalmente instintiva, meus pés descalços naquela areia quente, me deixavam em pé dentro daquela corrente de vento selvagem e forte ,e destinados a continuar como se fossem afluentes na vida criadora, num lugar pra alma se acalmar, nas cheias e vazantes que sobem e descem com as estações.

Entre todas as nuances e significados que se podia imaginar, eu simplesmente sabia que a ordem da natureza que nada pede em troca, era todo o silencio e toda a musica que eu precisava naquela especial parada na praia,compondo aquela canção.

 Era o tempo “exclusivamente meu” que me permitia inspirar e expirar livre da menor interrupção.

Como uma pluma pousada sobre o canto das minhas emoções, não existiam necessidades e ao abaixar os braços eu me sentia plena de canto, danças, criações. Plena do amar, do consertar e manter, do ar, do vento e das vozes da consciência .

Grê

praia do Tombo- Guarujá SP - foto Hilton Alves



Escrito por Gaia, deixe sua rosa aqui. às 23:08:46
[   ] [ envie esta mensagem ]




Mitica e Oníricamente no vôo das Borboletas

 

Assim ele chega... Uranianamente , proliferando com  força abundante e desenfreada meus sentidos e minhas vontades .

 

Calma Grê, calma .

 

Em meio a forças da natureza interior e meus sentidos envoltos nos terremotos e maremotos e erupções vulcânicas de ansiedade, eu tento esfriar a terra que esta sendo chacoalhada por um Netuno com seu tridente poderoso capaz de abalar a terra e o mar quando batido contra o solo.

Meu sorriso bobo, e feliz tinha um ritmo suave como os das lembranças que encontram o presente numa viagem rápida através das palavras em uma carruagem em grande velocidade indo do nascente ao poente.

Ele que chega uraniamente ,mas é um Apolo consciente do seu valor, da sua força , coragem e poder de comando, atinge o cume das montanhas e é vaidoso dos seus atos.

Multifacetária, eu era a Lua , a Ártemis voando em asas de borboletas germinando minha vontade , fertilizando minhas palavras rumo ao desejo de beijar aquela boca que eu adoro , e que naquela distancia cruel estava condenada à saudade para a purificação.

Ah... O Apolônio olhar de estrelas e a maldade do mago solitário, ainda me faziam tremer.

E eu queria mesmo era olhar aqueles olhos vivos e aquele jeito de conversar cheio de gestos...

Pronto de Ártemis eu já era uma Afrodite Pandêmia; sensual, sensível, sedenta ao toque daquelas mãos, desejosa daquele jeito sedutor que se expressa no ar como um excitante perfume que acordam os impulsos mais profundos, e deixam marcados como uma prensa tipográfica sua constelação de criatividade no céu das minhas vontades.

Ou melhor, eu quero.

 

 

 



Escrito por Gaia, deixe sua rosa aqui. às 00:30:35
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]


 
Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher, de 26 a 35 anos
Histórico
  16/11/2007 a 30/11/2007
  01/11/2007 a 15/11/2007
  16/10/2007 a 31/10/2007
  01/10/2007 a 15/10/2007
  16/09/2007 a 30/09/2007
  01/09/2007 a 15/09/2007
  16/08/2007 a 31/08/2007
  01/08/2007 a 15/08/2007
  01/07/2007 a 15/07/2007
  16/06/2007 a 30/06/2007
  01/06/2007 a 15/06/2007
  16/05/2007 a 31/05/2007
  01/05/2007 a 15/05/2007
  16/04/2007 a 30/04/2007
  01/04/2007 a 15/04/2007
  16/03/2007 a 31/03/2007
  01/03/2007 a 15/03/2007
  16/02/2007 a 28/02/2007
  01/02/2007 a 15/02/2007
  16/01/2007 a 31/01/2007


Categorias
  Todas as Categiorias
  Link
Outros sites
  Para mulheres
  Para participar
  Amigos
  Para participar
  Para conheçer
   Flamenco
  Amigos
  Amigos
  Para mulheres
  Para divertir
  Para divertir
  Amigos
  Amigos -GN
  Para escutar
  Para escutar
  Tocar os sentidos
  Flamenco
  Para conheçer
  Para escutar -Jazz
  Par conheçer
  Para fazer
  Para participar
  Para ver o céu
  Para conheçer
  Para escutar -Jazz
  Para conheçer
  Para conheçer
  Para divertir
  Vegetariano
  vegano
  Herbario - Informações
  Textos sagrados
  amiga e especial
Votação
  Dê uma nota para meu blog